PROJETOS

Projetos de Proteção e Combate a Incêndios

Projeto de Proteção e Combate a Incêndios

– Ao elaborar o projeto de combate a incêndio ele deverá estar de acordo com a NSCI (Normas de Segurança contra Incêndio) que orienta a localização precisa dos componentes de segurança, as características técnicas dos equipamentos, a demanda de água e as indicações referentes à execução das instalações, assim como também:

– Preventivo por Extintores e Hidráulico (este se for necessário);

– Instalações de gás combustível;

– Saídas e iluminação de emergência;

– Proteção contra descargas atmosféricas;

– Sistema de alarme e detecção de incêndio,

– Sinalização de abandono de local.

– Escada pressurizada (se for necessário)

– Splinker (se for necessário)

 

  • Algumas considerações gerais sobre o projeto de combate a incêndio

 

Adotar as normas e suas disposições orientadas pelo Corpo de Bombeiros;

Previsão de proteção por unidades extintoras adequadas (quando houver na edificação áreas isoladas que possam ocorrer incêndios);

Consultar o autor do projeto sobre as possíveis aberturas previstas ou mesmo peças embutidas na estrutura da edificação.

 

  • O que não se pode deixar de colocar no projeto de combate a incêndio?

 

Além de todas as especificações de equipamentos e suas localizações e importante acrescentar a chamada proteção passiva (que é a contenção da propagação horizontal e vertical), a ativa (que são os equipamentos de combate a incêndio), sistemas de alarme, saídas de emergência com iluminação de segurança adequada.

Ainda não se deve esquecer que os materiais combustíveis que ficam localizados no interior do edifício devem ser limitados, ou seja, não devem ser acima do necessário. Em pequenos edifícios as soluções para a disponibilização de materiais deve ser otimizada e, para isso, o melhor a se fazer é consultar o projetista para auxiliar.

 

  • Quais são os órgãos que o projeto deve atender?

 

O projeto de combate a incêndio deverá se guiar de acordo com as normas estabelecidas pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), a qual estabelece os dimensionamento e outros assuntos. E, a aprovação do projeto caberá à avaliação realizada pelo Corpo de Bombeiros.

Até meados dos anos 80 as exigências eram limitadas aos extintores, sinalizações e hidrantes. Hoje o Corpo de Bombeiros avalia esses e outros detalhes. Quando o seu projeto é aprovado você consegue dar entrada no Habite-se e consegue o AVCB ( Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros).

 

 

Projeto Elétrico

Projeto Elétrico
 
Um Projeto Elétrico é a previsão escrita da instalação, com todos os seus detalhes, localização dos pontos de utilização da energia elétrica, comandos, trajeto dos condutores, divisão em circuitos, seção dos condutores, dispositivos de manobra, carga de cada circuito, carga total, etc. 
 
De uma maneira geral, o projeto compreende quatro partes: 
 
Memória, em que o projetista justifica, descreve a sua solução; 
 
Conjunto de plantas, esquemas e detalhes que deverão conter todos os elementos necessários à perfeita execução do projeto; 
 
Especificações, onde se descreve o material a ser usado e as normas para a sua aplicação; 
 
Lista de Materiais, onde é levantada a quantidade de materiais.
 
 
Vantagens de um Projeto Elétrico em sua obra: 
 
Economia, na aquisição de matérias;
 
Economia na execução das instalações; 
 
Segurança das suas instalações;
 
Dimensionamento correto e personalizado para as suas necessidades; 
 
Previsão de consumo para melhor rendimento do mesmo; 
 
Entre outras várias vantagens. 
 
 
Desvantagens ao não ter um Projeto Elétrico em sua obra:
 
Super-dimencionamento de circuitos; 
 
Sub-dimensionamento de circuitos;
 
Falta de segurança nas instalações; 
 
Custos ficam mais elevados devido ao super-dimencionamento; 
 
Instalações desconformes as normas vigentes; 
 
Difícil execução.
 
 
 
Os projetos elétricos são dimensionados de acordo com as necessidades do cliente, e adequados em sua perfeita otimização a fim de trazer um melhor conforto e interação na sua utilização. Apresentam-se: 
 
1-MEMORIAIS DE CÁLCULO;
 
2-QUADRO DE CARGA e suas especificações;
 
3-DIAGRAMA UNIFILAR;
 
4. ENTRE OUTRAS.
 
 
Os projetos poderão ser executados no autocad ou revit, a critério do cliente.
 
image(7).jpeg

Projeto Hidráulico

Projeto Hidráulico

Os projetos poderão ser executados no autocad ou revit, a critério do cliente.

5 motivos que tornam o projeto hidráulico indispensável:

1. Economia

Em uma análise precipitada, o cliente pode discordar da contratação de um projetista para a parte hidráulica — afinal, isso tem um custo e, dependendo do porte ou estado, não é obrigatório. Porém, vamos aos fatos: ao elaborar um projeto hidráulico, mesmo que de uma residência, ele está reduzindo em média 20% do custo total da obra, levando em conta o desperdício de materiais e utilização de peças que são comumente utilizadas em todas as construções, não pensada de forma personalizada para aquela construção.

O projeto hidráulico também traz uma economia a médio e longo prazo. Ao realizar o projeto, o contratante também está se precavendo para imprevistos gerados pela falta de planejamento. Segundo um estudo realizado em 2006 pelo Corpo de Bombeiros do estado de Goiás, cerca de 75% das patologias da construção são provenientes de problemas relacionados com as instalações de água e esgoto. Ou seja, apenas um quarto das patologias de uma construção não são provenientes das instalações hidráulicas. Isso ocorre pela falta de projetos hidráulicos e pela negligência com as execuções das instalações que muitas vezes são realizadas por profissionais sem treinamento ou experiência. Reforce com o seu cliente que, ao optar por não realizar um projeto hidráulico, ele está sujeito a colocar em risco todo o planejamento dos demais projetos. Demonstre que a reforma será muito mais onerosa que o projeto.

2. Orientação para manutenção

Todo projeto ou edificação possui uma vida útil.Em determinado período, ele necessitará de reparos ou manutenção. A estrutura hidráulica não foge dessa regra. Não possuir um projeto bem elaborado pode se tornar um grande incômodo ao ter que realizar uma manutenção ou reparo. Como a tubulação não fica aparente e a localização de caixas de gordura, inspeção e reservatório podem variar de acordo com o empreendimento, torna-se vital possui um projeto ou planta hidráulica. Oriente seu contratante da necessidade de possuir e guardar esse projeto para consultas futuras. Como diferencial, reforce com seu cliente a necessidade e os benefícios de possuir o manual de construção, para que ele fique ciente da periodicidade e para manter o desempenho e vida útil do seu empreendimento.

3. Evitar patologias e inconformidades

Evitar patologias comuns em projetos hidráulicos é o principal argumento de um projetista para criar necessidade no contratante. É também o que diferencia o projetista dos demais executores desse serviço. Quem elabora a estrutura hidráulica de uma residência — e cobra valores muito aquém da realidade do projetista — geralmente utiliza como diferencial a experiência que possui na construção de outras obras. Lembre-se que a experiência é benéfica, mas não é mais importante que o conhecimento e as atualizações técnicas que um projetista possui. Não é incomum que estruturas hidráulicas que não são projetadas tenha inconformidades que acarretarão em patologias futuras, custos e incômodo ao usuário.

Entre as patologias e inconformidades mais comuns estão:

  • Retorno de gases fétidos devido a instalações inadequadas de esgoto;
  • Tubulações plásticas expostas ao tempo;
  • Ausência ou insuficiência de folga das paredes laterais da cisterna com paredes limítrofes do subsolo e da laje de fundo com o piso;
  • Cisterna enterrada ou semienterrada impedindo esgotamento totalmente por gravidade;
  • Falta de tampas estanques em reservatórios e cisternas;
  • Existência de eletrodutos correndo aparentes dentro da cisterna;
  • E tubulação de aviso inexistente ou ineficaz devido a demora na identificação, uma vez que o reservatório geralmente fica localizado em regiões não visíveis.

Você pode ver mais sobre patologias frequentes, baixando nosso e-book Patologias Hidrossanitárias: 25 falhas mais comuns em projetos e execuções.

4. Compatibilização com demais projetos

Cada vez mais presente na realidade de um projetista, o conceito BIM prevê integração em todas as etapas de um projeto, aumentando o desempenho da edificação como um todo. Temos aí um excelente argumento para tornar indispensável um projeto hidráulico em obras de pequeno porte. Mas você pode ir além: ao prever a estrutura hidráulica de sua edificação, o contratante evita que os elementos dos outros projetos sejam alterados ou tenham sua eficiência comprometida. Não é incomum perfurar uma viga, rasgar paredes, mover eletrodutos, desalinhar tubulação, romper eletrodutos e tubulações por pressão, tensionamento ou aperto excessivo. Em tubulações, ainda há improvisações como aquecimento dos tubos, curvas com junções inadequadas, ramais sem ventilação, ausência de plug no interior de caixa sifonada, deformações por temperatura ou ações químicas como solventes, bolsões de ar, assentamento de caixa dágua e vedação incorretas ou inadequadas. Realizar o projeto hidráulico é essencial para que todos os demais projetos tenham seu desempenho máximo.

5. Conforto e segurança ao usuário

Projetar e planejar não são sinônimos por acaso. Ao decidir construir, o contratante deseja principalmente que seu empreendimento tenha longa vida útil, seja seguro, confortável e que ele possa ter o máximo de desempenho, uma vez que irá investir. Mostre ao seu cliente que, ao investir em seu projeto hidráulico, mesmo que em construções de pequeno porte, ele está aumentando o desempenho de seu empreendimento e consequentemente sua vida útil. Certamente o valor investido em planejamento é infinitamente mais vantajoso do que as reformas. Planejar para se ter sucesso é obrigatório e o projeto hidráulico, nesse caminho, é indispensável.

 

image(8).jpeg